Câncer de mama

Revisões sistemáticas


• U. S. Preventive Services Task Force (2009)
Exame
- Mamografia bienal
Idade - 40 a 49 anos
Recomendação - Moderada evidência de que o benefício final é pequeno

-------------------------
Exame - Mamografia bienal

Idade – 50 a 74 anos
Recomendação - Moderada evidência de que o benefício final é moderado

------------------------------

Exame - Mamografia
Idade – Acima de 75 anos

Recomendação - Evidências insuficientes para qualquer recomendação

 ------------------------

Exame - Exame clínico das mamas
Idade - 40 ou mais anos
Recomendação - Evidências insuficientes para qualquer recomendação

------------------------------
Exame
- Autoexame das mamas
Idade - XXX
Recomendação - Não recomenda a capacitação das mulheres para o autoexame

------------------------- 

Exame - Mamografia digital
Idade - XXX

Recomendação - Evidências insuficientes para qualquer recomendação em relação ao rastreamento do câncer de mama

 -----------------------

Exame - Ressonância Nuclear Magnética
Idade - XXX

Recomendação - Evidências insuficientes para qualquer recomendação em relação ao rastreamento do câncer de mama

Referências bibliográficas

Screening for Breast Cancer, Topic Page. November 2009. U.S. Preventive Services Task Force. Agency for Healthcare Research and Quality, Rockville, MD. http://www.ahrq.gov/clinic/uspstf/uspsbrca.htm

 

 

• Cochrane Reviews (2006)
Exame
- Mamografia (2006)
Resultados - 20% de redução na mortalidade; excesso de diagnóstico e tratamento de 30%.

Conclusões - Não é possível determinar se o rastreamento mamográfico traz mais benefícios do que danos. As mulheres convidadas para rastreamento deveriam ser plenamente informadas destas questões.

 

• Cochrane Reviews (2003)

Exame - Autoexame e exame clínico das mamas (2003)
Resultados - Não foi observada diferença estatisticamente significativa na mortalidade por câncer de mama com o autoexame e o número de biópsias com resultados benignos foi quase duas vezes maior nesse grupo. Não foram encontrados ensaios clínicos randomizados sobre o exame clínico das mamas.

Conclusões - As evidências não apontam efeitos benéficos do rastreamento pelo autoexame das mamas, mas sugerem malefícios advindos de sua utilização (maior número de lesões benignas identificas e biópsias realizadas). No momento, não há evidências suficientes para indicar o autoexame ou o exame clínio das mamas como estratégia de rastreamento.

Referências bibliográficas

Gøtzsche PC, NielsenM.Screening for breast cancer with mammography. Cochrane Database of Systematic Reviews 2006, Issue 4. Art.
No.: CD001877. DOI: 10.1002/14651858.CD001877.pub2

Kösters JP, Gøtzsche PC.Regular self-examination or clinical examination for early detection of breast cancer (Cochrane Review). In:The Cochrane Library, Issue 2, 2008. Oxford: Update Software

 

 

• Agence d’évaluation des technologies et des modes d’intervention en santé (AETMIS) - Quebec (2006)
Exame - Mamografia 50-69 anos
Resultados - Redução de mortalidade entre 24 a 29%
Conclusões - As evidências dão suporte ao rastreamento mamográfico

Exame - Mamografia 40-49 anos
Resultados - Redução mínima na mortalidade, sem significação estatística
Conclusões - As evidências até o momento não justificam a realização do rastreamento mamográfico para mulheres abaixo de 50 anos.

Referências bibliográficas

Agence d’évaluation des technologies et des modes d’intervention en santé (AETMIS).Screening Mammography: A Reassessment. Report prepared by Wilber Deck with the contribution of Ritsuko Kakuma (AETMIS 05-03). Montréal: AETMIS, 2006, xii-77 p.


 

• Canadian Task Force on Preventive Health Care (1994)
Intervenção - Ensino rotineiro do auto-exame das mamas em mulheres de 40-49 e 50-69 anos
Nível de evidência - Ensaios clínicos randomizados (I); ensaios clínicos não randomizados (II-1); estudos de coorte ou caso-controle (II-2)
Recomendação - Uma vez que existe moderada evidência de não haver benefícios e forte evidência de dano, recomenda-se a exclusão do ensino do auto-exame das mamas do exame rotineiro de saúde (Grau de recomendação D)

Intervenção - Mamografia a cada 12-18 meses em mulheres de 40-49 anos
Nível de evidência - Ensaios clínicos randomizados (I)
Recomendação - As evidências atuais não permitem recomendar a inclusão ou exclusão do rastreamento mamográfico no exame físico periódico de mulheres com idade entre 40-49 anos (Grau de recomendação C).

Intervenção - Exame clínico e mamografia em mulheres de 50-69 anos
Nível de evidência - Ensaios clínicos randomizados (I)
Recomendação - Forte evidência para recomendar o rastreamento por exame clínico e mamografia em mulheres de 50-69 anos (Grau de recomendação A). Os melhores estudos apontam para um intervalo de 1-2 anos

Referências bibliográficas

Screening for Breast Cancer: recommendation statement from the Canadian Task Force on Preventive Health Care, 1994. http://www.ctfphc.org/

 

 

Guide to Clinical Preventive Services, 2008 - Recommendations of the U.S. Preventive Services Task Force

Livro resumo das recomendações da Força Tarefa americana com informações sobre o nível de evidência para as estratégias de prevenção e detecção precoce de diversas doenças, inclusive o câncer.



Cervix Cancer Screening / Breast Cancer Screening

Livros da Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC) sobre rastreamento.



Cancer control: knowledge into action

Manuais da Organização Mundial de Saúde para a implantação de ações de controle de câncer. É composto por seis módulos. O módulo de detecção precoce é o terceiro.